Corte de orelhas

CORTE DE ORELHAS DA RAÇA CIMARRON URUGUAIO

Instrução brindada pelo Dr. Victor de Oliveira

Vale a aclaração, que este procedimento indicado sirva para  guia para o profesional Veterinario actuante, não para uso de pessoas que não estiver capacitadas para resolver problemas que possam suceder  como consecuencia do ato quirúrgico e não se incorrer en atrevimento nem negligência.

Procedimento:

1er. Corte (principal):

Se realiza um corte recto perpendicular a uma linha imaginaria que pasa pelo vértice da orelha ao centro da base da orelha, tomando como limite superior do corte, o  borde superior da prega da orelha “orejuela”. Ver Figura 1.



2do. Corte (redondeo):

Se realiza um corte reto, tirando um triangulo na “orejuela”, o suficientemente grande, de maneira que quase  desapareça a prega, “orejuela”. Ver Figura 2.

3er. Corte (redondeo):

Se realiza o corte reto no extremo oposto, extremo superior da orelha, tirando un triángulo menor ao realizado no 2do corte. Ver Figura 2.

Observação:

  • O 2do. Corte (triangulo)  deve ser mais grande que o 3er. Corte (triangulo)

  • Os 3 cortes deven ser retos, precisos, o redondeo final da orelha se produce pela cicatrização e retração de esta cicatriz do corte realizado.

  • É um corte artesanal, não implica perfeição, nem semelhanças extremas, o cual não seria racional acorde ao tamanho das orelhas nesse momento. Pelo tanto é de esperar variação de tamanho e forma de ambas orelhas ao realizar-se o crescimento posterior.

  • O corte original de orelhas realizado no campo, era feito com facas com só um corte que eliminava só a ponta da orelha, ficando estas mais compridas e não tão redondas.


Para realizar o corte da outra orelha, uma alternativa é “marcar” a linha de corte, superpondo a ponta cortada da primeira orelha, enfrentando o pabelião desta  com o respectivo da segunda. Ao apretar-las entre sí, fica marcada uma linha de sangue bem visivel. Desta forma estaremos assegurando a igualdad dos dois cortes. Ver Figura 3.



Consideraçoes gerais:

  • Após de realizado o corte, desinfetar pasando um algodão embebido en algun antiséptico (Ex.: agua oxigenada) y apretar fortemente a oreja por alguns segundos para cortar o sangrado (hemostasis por compressão).
  • A orelha recém cortada, cuando fica do comprimento correto, fica quase rasante na cabeça.
  • Entregar o filhote o antes posivel a mãe, para que ela se encarregue de lamber a ferida e de por o filhote a mamar quanto antes. A partir desse momento a cadela se preocupa da atenção da ferida, sendo pelo geral suficiente.
  • Realizar os cortes de orelhas nas horas de menor calor do dia, ou em ambiente com temperatura controlada, como forma de reduzir o sangrado excessivo e pelo tanto as hemorragias.
  • Se pode baixar a temperatura dos filhotes mediante o uso de “sachets” refrigerados ou congelados, inclusive aplicando eles diretamente sobre as orelhas. En casos de sangrados excessivos, este ultimo procedimento serve para ajudar a controlar as hemorragias.
  • O melhor momento para realizar o corte é entre os 3 e maximo 10 dias de vida, com o qual se minimizan os riscos e sufrimento,  consecuencia da mutilação.
Originariamente os cortes se realizavam perto do mes de vida dos filhotes o qual provocava  maior sufrimento, excessivo  sangrado e pelo tanto muitas mais complicaçoes primarias y secundarias.